Em virtude de diversas campanhas, o mês de outubro já é nacionalmente conhecido como o Outubro Rosa, período importante para informar e conscientizar sobre o câncer de mama feminino, o tipo que mais mata mulheres no Brasil. Neste ano, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA), Goiás deve registrar 1.670 novos casos de câncer de mama, sendo 560 em Goiânia.

diagnóstico precoce ainda é a maior arma para diminuir a mortalidade causada pelo câncer de mama. E a maior parte desse tipo de câncer é detectado pelas próprias mulheres ao notarem alterações mamárias. Por isso, é muito importante que as mulheres, seja qual for a idade, conheçam e observem seus corpos em qualquer momento do dia, pois isso ajuda a saber o que não é normal nas mamas.

Mudanças no seio, como vermelhidão, abaulamentos ou retrações da pele, descamação da pele da aréola/mamilo, inversão recente do mamilo, ulcerações, nódulos palpáveis endurecidos ou fixos (nas mamas e/ou axilas), espessamentos palpáveis ou secreções preocupantes (sangue ou transparente como água) devem acender o alerta.

Diagnóstico e tratamento

A hereditariedade conta na hora de se cuidar e prevenir, mas alguns maus hábitos também podem contribuir para o surgimento da doença. Mulheres sedentárias, com obesidade pós-menopausa, alcoólatras, fumantes, que não amamentam e que fazem reposição hormonal têm mais chance de desenvolver a doença. No Brasil, as pacientes diagnosticadas com a doença têm tratamento custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A saúde pública oferece mamografia, biopsia, quimioterapia e cirurgias para as mulheres que descobrem o câncer de mama.

Aprenda a fazer o autoexame das mamas

Observação em frente ao espelho

Siga os passos 1, 2 e 3 como na figura. Durante a observação é importante avaliar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. Caso existam alterações ou  diferenças entre as mamas é recomendado consultar o ginecologista.

Apalpação de pé

Siga os passos 4 e 5 durante o banho com o corpo molhado e as mãos ensaboadas. A palpação deve ser feita com os dedos da mão juntos e esticados em movimentos circulares em toda a mama e de cima para baixo. Depois da palpação da mama, deve-se também pressionar os mamilos suavemente para observar se existe a saída de qualquer líquido.

Apalpação deitada

Deite e coloque o braço esquerdo na nuca, como mostra a imagem 4. Coloque uma almofada ou toalha debaixo do ombro esquerdo para ser mais confortável. Apalpe a mama esquerda com a mão direita, como mostra a imagem 5. Estes passos devem ser repetidos na mama direita para terminar a avaliação das duas mamas. Caso seja possível sentir alterações que não estavam presentes no exame anterior é recomendado consultar o ginecologista para fazer exames diagnóstico e identificar o problema.

 

autoexame cancer mama