Você deve ter acompanhado nos noticiários que o verão de 2019 será um dos mais quentes no Brasil. Em algumas cidades, foram registradas temperaturas de mais de 40ºC. A cidade de Antonina, no Paraná chegou a registrar sensação térmica de 81ºC.

Além do desconforto gerado pelo calor, que já sentimos na pele, um relatório mostra que as ondas de calor também podem ter impacto negativo em nossa saúde. De acordo com estudo publicado em novembro pela revista científica britânica The Lancet, as ondas de calor podem causar graves consequências na saúde humana. Veja exemplos abaixo:

Estresse por calor: o que é e como se prevenir

O estresse por calor (ou estresse térmico) ocorre quando o corpo humano é exposto a temperaturas elevadas e sente dificuldade para se adaptar. Nesta situação, ele precisa fazer alterações para se defender e o calor produzido dentro do corpo é transferido para a superfície da pele através do sistema circulatório e do contato interno dos tecidos.

Para evitar o estresse por calor e seus agravantes:

– se manter bem hidratado com ingestão de água e isotônicos

– evitar a exposição solar entre 10h e 16h

– evitar excesso de álcool e os exercícios extremos

– usar roupas leves e soltas

– passar o máximo de tempo possível em ambientes frescos.

Riscos de doenças transmitidas por mosquitos

Outra grande preocupação no verão são as enfermidades como dengue, chikungunya, zika e febre amarela, transmitidas por mosquitos vetores. Isso porque a capacidade de transmissão da doença é influenciada por umidade, chuva e temperatura. Quanto mais quente, melhor para os mosquitos.

As dicas para prevenção são se vacinar, não circular em áreas de risco e usar repelente e roupas protetoras. Também é necessário instalar mosquiteiros, manter as casas e as ruas limpas, fechar bem os lixos e não deixar água parada.

Problemas vasculares e de pele

Apesar de não constar no relatório, os problemas vasculares aumentam no Brasil em consequência das altas temperaturas. O calor provoca vasodilatação e sobrecarrega a circulação, principalmente nas pessoas que já possuem histórico de varizes, trombose e insuficiência venosa. As altas temperaturas também aumentam o risco de alergias e infecções na pele.

Nesta época, a indicação é reforçar hábitos saudáveis, com alimentação equilibrada e, de preferência, com pouco sal, boa hidratação, atividade física regular, não ficar longos períodos na mesma posição, fazer drenagem linfática, não usar roupas muito apertadas e evitar o consumo de álcool.

Verão pode causar mais queimaduras e câncer de pele

Mais uma preocupação que vem com os dias quentes é o câncer de pele visto que o verão é o período de maior intensidade dos raios ultravioletas. Assim, a exposição solar é mais perigosa, especialmente para as pessoas de pele clara. Os cuidados são se expor ao sol de maneira moderada, evitando os horários das 10h às 16h, e usar filtro solar adequado, com alto fator de proteção.

Fique atento ao que você come!

A dica é estar atento às condições dos alimentos porque o calor favorece a proliferação de bactérias em certos itens, como maionese, molhos, condimentos e frutos do mar, aumentando o risco de contaminação alimentar. Saiba a procedência e qualidade do que será consumido e descarte os que estiverem com aspecto ou cheiro estranho, em especial na praia.